Precificar os produtos da sua loja online é um fator determinante para o sucesso do seu empreendimento.

No entanto, isso nem sempre é uma tarefa fácil, principalmente para quem está começando ou tem dificuldade na gestão. Por isso, aqui trouxemos um guia de precificar os produtos da loja online corretamente.

O que considerar ao precificar produtos da loja online?

Antes de tudo, você precisa saber que por trás da precificação de produtos existe toda uma análise dos gastos e um contexto da empresa, além dos cálculos.

Leia também: 5 vantagens de investir em um e-commerce

Então, para precificar os produtos da loja online, você precisa considerar todos esses fatores evolvidos. Veja sete deles abaixo:

1. Despesas

As despesas envolvem todos os gastos que não estão relacionados diretamente à produção. Contudo, precisam ser diluídas no preço dos produtos.

Entre as despesas, temos alguns elementos, como:

  • gastos com administração;
  • investimento em marketing;
  • água, luz e internet;
  • aluguel.

2. Custos

Por outro lado, os custos também têm que ser distribuídos nos preços. Neste caso, os custos se referem aos gastos que a empresa tem para a produção de um produto. Por exemplo:

  • matéria-prima e/ou mão de obra;
  • compra e manutenção de equipamentos;
  • gastos de fabricação;
  • embalagens;
  • frete.

Além disso, quando a empresa quer diminuir gastos com aluguel (o que implica também contas de água, de energia e, por vezes, IPTU) e decide contratar armazenamento em boxes de self storage, isso precisa estar incluído nos custos.

3. Perfil do cliente

Para precificar um produtos será necessário conhecer quem é o seu público-alvo ou persona. Isto é, o perfil das pessoas que terão interesse em adquiri-lo.

Sendo assim, você conseguirá entender melhor as necessidades deles e o quanto estão dispostos a pagar.

Isso também deve ser o norteador das estratégias de marketing que, como falamos, entra na categoria de despesas e alteram a precificação de produtos.

4. Mercado

Bem como o público-alvo, é necessário conhecer a concorrência e os seus preços. Não se engane, isso não significa que o seu produto precisa ser o mais barato.

Aliás, evite entrar na guerra de preços, pois pode ser bastante prejudicial para seu empreendimento. Ao invés disso, analise o mercado e quais são os diferenciais que fazem do seu produto a melhor opção.

5. Valor

Diferente do que muitos pensam, o valor não é a mesma coisa que o preço ou os custos. Na verdade, são três coisas bastante diferentes.

Enquanto o preço e custos são quantias numéricas, o valor se refere à utilidade que o produto tem para o consumidor. Em outras palavras, a capacidade de resolver os problemas do cliente.

Desse jeito, precisa ser incluído no processo de precificação de produtos, principalmente na definição de margem de lucro.

6. Margem de lucro

Por outro lado, a margem de lucro é o que irá definir a rentabilidade do seu negócio e, consequentemente, o sucesso dele.

Não existe um jeito ideal para definir a margem de lucro desejada. Porém, você deve ter em mente que é necessário equilíbrio durante a precificação de produtos.

Isto quer dizer, que o lucro não seja pequeno demais ao ponto de causar perdas nem grande demais para que haja acúmulo de estoque.

7. Impostos

Por último, não se pode esquecer os impostos relativos à comercialização dos produtos. Eles devem estar incluídos no preço do produto para que não haja prejuízo para o empreendimento.

Não tenha medo de precificar um produto

Tendo em mente todos estes fatores, você conseguirá precificar os produtos da sua loja online sem deixar custos de fora, ou seja, sem prejudicar o seu negócio.

Ainda mais, lembre que este não é um processo estático. Você sempre pode rever e refazer a precificação de produtos conforme suas necessidades e a dos seus clientes.


Gostou? Então, acesse mais publicações do blog da Estoque Bem e conheça melhor o serviço de self storage. Você vai se surpreender em como pode ser útil em seu negócio online!